quarta-feira, 15 de junho de 2022

Nem tudo são flores


Acabei de postar essa foto no story do meu instagram (um lugar que fica por apens 24 horas)... Coloquei na legenda o link que encaminha aqui para o blog ao clicar na legenda, mas tenho certeza absoluta que MUITOS vão curtir, mas não terão o trabalho de vir ler sobre o que me passou hoje...

Estou em uma casa a apenas 2 ruas da praia, e aproveitei que o dia estava lindo para caminhar pela areia, me bronzear, tomar banho de mar e relaxar...

A Praia Bonita está localizada no bairro se Bonitillo em La Ceiba (Honduras).  Um lugar normal, nada de paradisíaco... A cor do mar não é azul e a areia não é branca.... As vezes me pergunto o por quê de não estar em JP, meu paraíso lindo!



Não havia absolutamente ninguém na praia... Só eu e o som do mar com suas ondas indo e vindo.

Caminhei sentindo a água quentinha nos meus pés...

Parei por um momento para apreciar a vista e fazer algumas fotos.


Segui...

Passei por um pedaço de rio que se encontrava com o mar... Aí estava um homem e uma criança com uma bicicleta... Os cumprimentei e segui adiante.

Caminhei por mais uns 10 minutos...

De repente alguém me abraça por trás.... Por alguns segundos eu pensei que fosse alguém conhecido, até que sou atirada no chão.

E de repente, aquele homem que cumprimentei minutos antes estava ali, em cima de mim...

Comecei a lutar contra aquilo, mas não conseguia... Minhas pernas estavam imóveis presas no peso das suas... Minhas mãos não tinham forças para tirar a mão dele da minha calcinha... Senti seus dedos asquerosos me bulinar...

Eu não tinha reação e o mais chocante era o fato de que eu estava toda molhada...

Eu gritava "o que está fazendo?" "Por favor, pare!"

E de repente ele parou e se levantou... Olhava para os lados para saber se alguém havia escutado meus gritos... Vi no seu olhar um pouco de arrependimento e culpa... De quem agiu por um doentio instinto.

Então ele baixou a cabeça e seguiu em direção ao rio, onde estava o menino com a bicicleta...

Agarrou um balde com água e foi embora.

Fiz um vídeo para tentar capturar sua imagem, mas eu estava tremendo muito e não ficou bom... Ele viu que eu estava filmando e por um instante pareceu que ia voltar, mas depois ele foi embora e entrou na mata.


Eu estava completamente coberta de areia, então entrei no rio e me banhei... Me lavei toda, me sequei, me vesti novamente e segui...

Sim, pela primeira vez, em todo esse tempo de viagem sofri uma tentativa de estupro... Percebi o quão forte pode ser um homem quando quer violentar uma mulher... E que seu pênis é sim uma arma... E quão frágil somos nós por possuir uma "abertura" entre as pernas.

Estou viajando sozinha há mais de 7 meses pela América Central, um lugar com vulcões ativos, terremotos e furacões...

Mas o risco maior de me machucar ou até mesmo de morrer não é por um desastre natural, e sim por um ser da minha própria espécie: o homem!

2 comentários:

Unknown disse...

Estou tremendo só em le

Krys/SoriaLuc disse...

Ay amiga! Q horror ter passado por aquela situação! Q bom por ter a força para relatar e continuar a viagem! Mais uma experiência no seu currículo que ajudará vc a ser mais forte do que vc já é!!
Abraço e boas vibrações!!